Sê também um grande galo, e desperta o mundo.

Escreve poemas breves como a voz dos pássaros.

O canto dos pássaros não é produzido por máquinas. Dá ao teu poema asas para que voe até ao cimo das árvores.

Sê um lobo no redil do silêncio.

Não deixes ninguém dizer-te que a poesia não vale um caracol.

Lawrence Ferlinghetti, excertos de A Poesia como Arte Insurgente, Trad. de Inês Dias, Relógio D’ Água, 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s